Sábado
03 de Dezembro de 2022 - 

Notícias

Controle de Processos

Insira seu usuário e senha para acesso ao software jurídico

Previsão do tempo

Hoje - Sacramento, MG

Máx
26ºC
Min
19ºC
Chuva

Webmail

Clique no botão abaixo para ser direcionado para nosso ambiente de webmail.

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 5,20 5,20
EURO 5,44 5,44

Newsletter

03/10/2022 - 14h28TJMG vai iniciar migração de sistemas para nuvemMedida amplia acesso a dados e segurança da informação

Reunião discutiu possibilidade de migrar sistemas e banco de dados para nuvem (Crédito: Riva Moreira/TJMG) O Tribunal de Justiça de Minas Gerais, por meio da Diretoria Executiva de Informática (Dirfor), vai iniciar em breve a migração de seus sistemas computacionais para o ambiente em nuvem. A mudança permitirá a redução de custos com a manutenção de equipamentos e a atualização de software, otimizando o trabalho das equipes da área de tecnologia da informação (TI) e aumentando a disponibilidade, a mobilidade e a segurança dos dados produzidos na instituição. Atualmente, a maior parte do armazenamento e processamento dos dados no âmbito do TJMG é do tipo on premises, ou seja, serve-se de uma infraestrutura física que, além de ser menos confiável no que se refere à preservação dos dados, está sujeita a instabilidades. A tecnologia em nuvem, adotada recentemente para o Portal TJMG, agora vai abranger bancos de dados e aplicações. As diretrizes para execução da proposta foram tratadas em reunião que envolveu o superintendente de Tecnologia da Informação do Tribunal, desembargador André Leite Praça; o juiz auxiliar da Presidência, Rodrigo Martins Faria; a diretora da Dirfor, Alessandra Campos; os responsáveis, respectivamente, pela Gerência de Infraestrutura Tecnológica e pela Coordenação de Administração de Dados subordinadas, Denilson Rodrigues e Davi Leonardo Salles; e o representante da Oracle Brasil, Roger Faleiro Torres. Vantagens múltiplas Segundo o superintendente de Tecnologia da Informação, desembargador André Leite Praça, os impactos da expansão serão consideráveis em curto, médio e longo prazo. Devido à migração, a infraestrutura de TI do Tribunal passará a operar de forma previsível, segura e a um custo menor, com funcionalidades projetadas para executar todas as cargas de trabalho de missão crítica, nativas da nuvem e em escala web. A proposta possibilita ainda a modernização permanente dos sistemas informatizados utilizados pelas áreas de negócio do TJMG, garantindo a disponibilidade dos serviços. “O projeto proporciona maior qualidade e segurança aos serviços prestados pela Dirfor, que vêm se tornando a espinha dorsal do funcionamento do Poder Judiciário na contemporaneidade e impulsionadores do cumprimento de metas estabelecidas pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Ferramentas tecnológicas são hoje imprescindíveis ao atendimento da população com agilidade e confiabilidade, e configuram um dos pilares da administração do presidente do TJMG, desembargador José Arthur de Carvalho Pereira Filho”, diz o desembargador André Leite Praça. O juiz Rodrigo Faria, o presidente José Arthur Filho e o desembargador André Leite Praça em reunião na Presidência (Crédito: Riva Moreira/TJMG) O desembargador Leite Praça diz ainda que a substituição de uma infraestrutura física para um ambiente em nuvem é uma tendência tecnológica crescente nas cortes de justiça, nos órgãos públicos e no mundo corporativo. “Este modelo está se tornando uma referência, porque alia a segurança de dados com a garantia de privacidade e o sigilo da informação. Uma vez que são guardiãs de um patrimônio de enorme relevância, as empresas provedoras desses serviços promovem altos investimentos na proteção e na acessibilidade do acervo de dados a elas confiado”, ressalta. Eficiência Segundo o juiz auxiliar da Presidência, Rodrigo Martins Faria, o jurisdicionado perceberá o ganho de qualidade. “A estratégia de conversão da infraestrutura de TI para nuvem pública representa o que há de mais moderno no mercado neste ramo, pois garante maior estabilidade dos serviços, além de incrementar a escalabilidade, que é a capacidade de continuarmos oferecendo um atendimento de qualidade mesmo diante do aumento da demanda, e assegurar a atualização constante do parque tecnológico. Com isso, reduz-se drasticamente o risco de termos os sistemas fora do ar ou inoperantes. Outra vantagem é que isso libera as equipes de algumas tarefas, o que aumenta a produtividade”, diz. De acordo com o gerente de Infraestrutura Tecnológica, Denilson Rodrigues, o projeto prevê a migração dos ambientes de homologação, desenvolvimento e testes para a nuvem pública. O ambiente de homologação simula, para o cliente dos serviços, o funcionamento do sistema para identificação de possíveis problemas. O ambiente de desenvolvimento é aquele em que o profissional trabalha para criar a aplicação, e o de testes é destinado a programadores e/ou ferramentas automatizadas que realizam tentativas persas de solicitação para verificar falhas nos sistemas. Já o ambiente de produção é o que os usuários efetivamente usam. O gerente responsável pela infraestrutura tecnológica do TJMG destaca dois objetivos principais. “Queremos desonerar o ambiente de produção interno, conferindo aos sistemas informatizados maior capacidade e desempenho computacional; e disponibilizar um ambiente segregado e devidamente configurado para viabilizar a homologação de vários sistemas simultaneamente pelas áreas de negócio. Com isso, poderemos disponibilizar aos analistas da Dirfor ambientes de desenvolvimento com capacidade e desempenho iguais aos do ambiente de produção e, permitir a realização de testes de sistemas em ambientes e bancos de dados separados, sem comprometimento da produção”, afirma Denilson Rodrigues. Entenda o armazenamento em nuvem O ambiente de nuvem é uma tecnologia computacional que permite o armazenamento e o processamento de dados em infraestruturas tecnológicas fornecidas como um serviço pelas empresas contratadas. A nuvem pode ser privada, quando os equipamentos ficam instalados no ambiente físico da própria contratante, ou pública, quando esses equipamentos ficam instalados em ambiente físico também da contratada. Nesse caso, a comunicação entre a contratante e o ambiente computacional é feita via internet. O serviço é fornecido conforme a necessidade, cabendo à contratada garantir a segurança, resiliência e disponibilidade dos dados e dos serviços de processamento. A grande vantagem da nuvem é a garantia de disponibilidade dos serviços. Isso decorre do emprego de equipamentos de última geração, que são constantemente modernizados pela contratada, e da possibilidade de ampliar a capacidade de armazenamento e processamento de dados conforme a demanda, o que seria impossível com equipamentos próprios, cuja atualização demanda meses para desenvolvimento do projeto de compra, instalação e operação. Diretoria Executiva de Comunicação – Dircom Tribunal de Justiça de Minas Gerais – TJMG (31) 3306-3920 imprensa@tjmg.jus.br instagram.com/TJMGoficial/ facebook.com/TJMGoficial/ twitter.com/tjmgoficial flickr.com/tjmg_oficial
03/10/2022 (00:00)

Contate-nos

Melo Rodrigues - Advocacia

Rua Ângelo Crema  159  casa
-  Bela Vista l
 -  Sacramento / MG
-  CEP: 38190-000
+55 (34) 3351-1084+55 (34) 98871-0798
© 2022 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia