Sábado
08 de Agosto de 2020 - 

Controle de Processos

Insira seu usuário e senha para acesso ao software jurídico
Usuário
Senha

Notícias

Newsletter

Nome:
Email:

Previsão do tempo

Hoje - Sacramento, MG

Máx
27ºC
Min
14ºC
Predomínio de

Webmail

Clique no botão abaixo para ser direcionado para nosso ambiente de webmail.

11/11/2019 - 20h13Júri de Valadares condena quatro por homicídioVítima foi morta em casa, na cidade de Frei Inocêncio

Crime ocorreu em Frei Inocêncio, onde a vítima foi executada na varanda de casa Quatro homens foram condenados em Governador Valadares na última quarta-feira (6/11) por homicídio e associação criminosa. Três deles foram condenados ainda por coação no curso do processo. A vítima havia prestado depoimento em processo da operação denominada “Cavalo de Troia”, na qual os réus eram investigados por tráfico de drogas. A soma das penas ultrapassou 70 anos: D.S. foi condenado a 20 anos, 4 meses e 8 dias de reclusão e ao pagamento de 10 dias-multa; V.M., a 16 anos, 9 meses e 15 dias de reclusão e 10 dias-multa; R.M., a 17 anos e 6 meses de reclusão; e G. M., a 18 anos de reclusão e 10 dias-multa. O dia-multa foi fixado em 1/30 do salário mínimo vigente à época dos fatos, e o regime inicial de cumprimento da pena deverá ser o fechado. O crime ocorreu no Município de Frei Inocêncio na noite de 19 de março de 2019, no Bairro Pantanal. A vítima estava na varanda de sua casa quando foi atingida por disparos nas costas e na nuca. De acordo com a denúncia, D.S. encabeçou o crime, dirigindo as atividades dos outros envolvidos. Materialidade O Conselho de Sentença confirmou a materialidade dos crimes e acatou as qualificadoras – motivo torpe e emprego de recurso que dificultou a defesa da vítima. O réu R.M. foi absolvido do crime de coação no curso do processo. Ao dosar a pena, o juiz presidente do Tribunal do Júri, Evérton Villaron de Souza, considerou o alto grau de reprovabilidade da conduta dos réus. Ressaltou o motivo torpe do crime, uma vez que a vítima foi executada por ter prestado depoimento em processo criminal envolvendo os denunciados. Destacou ainda a ousadia e o desprezo dos réus pela vida humana, lembrando que a vítima foi colhida de surpresa e atingida pelas costas. O juiz negou aos réus o direito de recorrer em liberdade, considerando sua periculosidade.  
11/11/2019 (00:00)

Contate-nos

Melo Rodrigues - Advocacia

Rua Ângelo Crema  159  casa
-  Bela Vista l
 -  Sacramento / MG
-  CEP: 38190-000
+55 (34) 3351-1084+55 (34) 98871-0798
© 2020 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia