Sexta-feira
18 de Outubro de 2019 - 

Controle de Processos

Insira seu usuário e senha para acesso ao software jurídico
Usuário
Senha

Notícias

Newsletter

Nome:
Email:

Previsão do tempo

Hoje - Sacramento, MG

Máx
35ºC
Min
23ºC
Poss. de Panc. de Ch

Webmail

Clique no botão abaixo para ser direcionado para nosso ambiente de webmail.

24/06/2019 - 15h30Presidente visita sala de atendimento de assédio moral em BHVídeo que integra a campanha informativa também foi apresentado hoje

O presidente do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), desembargador Nelson Missias de Morais, visitou hoje, 24 de junho, a sala de escuta e mediação de assuntos relacionados ao assédio moral no trabalho. A visita marcou o início do funcionamento do espaço, localizado no terceiro andar do Fórum Lafayette, em Belo Horizonte. A presença do presidente dá continuidade às ações que visam ampliar a visibilidade e a capacidade de atuação da Comissão Paritária e Multidisciplinar de Estudos, Prevenção e Recebimento de Reclamações do Assédio Moral do TJMG. Na oportunidade, foi exibido também o vídeo produzido pela Assessoria de Comunicação Institucional (Ascom) que traz informações sobre o assédio moral, os meios de preveni-lo e a atuação da comissão. O vídeo integra o material de pulgação que será enviado a todas as comarcas do estado. Para o presidente do TJMG, o início do funcionamento da sala de escuta e mediação é só o começo das ações de combate ao assédio moral Nelson Missias de Morais destacou a importância, para todos os servidores e magistrados, de ampliar o protagonismo da comissão no sentido de prevenir e, principalmente, conter situações de assédio moral, construindo um ambiente de trabalho harmônico e humanizado. Ele lamentou que situações como essa ainda aconteçam e enfatizou que devem ser combatidas em qualquer instituição, em especial no TJMG, onde precisam ser banidas. A presidente da comissão, juíza Maria Isabel Fleck, agradeceu a atual gestão do Tribunal, que não tem medido esforços para criar melhores condições de trabalho para os servidores. A instalação de uma sala para escuta e mediação, segundo ela, materializa e intensifica o alcance dos objetivos da comissão. A juíza Maria Isabel Fleck, presidente da comissão, enfatizou que a campanha será levada a todas as comarcas A desembargadora Áurea Maria Brasil Santos Perez, 2ª vice-presidente do TJMG e superintendente da Escola Judicial Desembargador Edésio Fernandes (Ejef), também celebrou a importância da sala para a visibilidade da comissão. Áurea Brasil reforçou a disponibilidade da Ejef como parceira na construção de um ambiente de trabalho saudável, fundamental para o funcionamento profícuo do Judiciário. Para a desembargadora Áurea Brasil, a sala dá visibilidade ao trabalho de combate ao assédio e construção de um ambiente saudável de trabalho O vídeo institucional produzido em parceria pela comissão e Ascom foi apresentado pela servidora Sheila Augusta Ferreira Fernandes Salomé, membro da comissão que representa o Sindicato dos Servidores da Justiça de 1ª Instância do Estado de Minas Gerais (Serjusmig). Sheila Augusta acredita que a campanha ampliará o conhecimento e o acesso de servidores à Comissão de Prevenção e Combate ao Assédio Moral Além de servidores e magistrados, prestigiaram a inauguração da sala os demais membros da Comissão Paritária e Multidisciplinar de Estudos, Prevenção e Recebimento de Reclamações do Assédio Moral do TJMG: os juízes Carlos Roberto Loiola, Flávia Birchal de Moura e Riza Aparecida Nery; os servidores Emerson Mendes de Figueiredo, representante do Sindicato dos Oficiais de Justiça Avaliadores do Estado de Minas Gerais (Sindojus); Etna Barbieri Marques, cirurgiã-dentista lotada na Coordenação de Qualidade de Vida no Trabalho (Covit); Fátima Salomé Barreto, assistente social do Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania (Cejusc), secretária-geral da comissão; Felipe Rodrigues e Rodrigues do Carmo, representante do Sindicato dos Servidores da Justiça de 2ª Instância do Estado de Minas Gerais (Sinjus). Atuação De acordo com a juíza Maria Isabel Fleck, quando a comissão recebe uma queixa, a primeira tentativa é pacificar o conflito; mas, quando isso não é possível, busca-se estabelecer pelo menos a convivência profissional. Se a comissão avaliar que a intervenção deve ir além disso, pode-se recomendar a troca de setores ou até mesmo de comarca, tanto do assediador quanto do assediado. Se o caso extrapolar a competência da comissão, é encaminhado à Corregedoria-Geral de Justiça. Veja aqui a        Resolução 748/2013       , que disciplina o funcionamento da Comissão Paritária e Multidisciplinar de Estudos, Prevenção e Recebimento de Reclamações do Assédio Moral do TJMG.  
24/06/2019 (00:00)

Contate-nos

MELO RODRIGUES ADVOCACIA

Rua Ângelo Crema,  159
-  Bela Vista I
 -  Sacramento / MG
-  CEP: 38190-000
+55 (34) 3351-1084+55 (34) 9.8809-6681
© 2019 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia