Terça-feira
10 de Dezembro de 2019 - 

Controle de Processos

Insira seu usuário e senha para acesso ao software jurídico
Usuário
Senha

Notícias

Newsletter

Nome:
Email:

Previsão do tempo

Hoje - Sacramento, MG

Máx
29ºC
Min
22ºC
Pancadas de Chuva

Webmail

Clique no botão abaixo para ser direcionado para nosso ambiente de webmail.

29/11/2019 - 18h39Conhecendo o Judiciário têm edições especiais de aniversárioIntervalo Cultural simula jogo de futebol para testar conhecimentos jurídicos

Alunos julgaram "Neymar" pela tentativa de matar o jogador "Cristiano Ronaldo" A alegria, o entusiasmo e a leveza de um grupo de 90 adolescentes levou um sopro de jovialidade ao auditório do Pleno do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), na capital mineira, na manhã desta sexta-feira (29/11). Alunos do 8º e do 9º anos do Ensino Fundamental da Escola Estadual Pandiá Calógeras, meninas e meninas participaram da segunda edição especial do Conhecendo o Judiciário, em comemoração aos 20 anos do programa. À tarde, foi a vez do público sênior. No horário do almoço, um Intervalo Cultural pertido e lúdico testou os conhecimentos do público sobre o funcionamento do Judiciário. Júri simulado No júri simulado dos estudantes do Pandiá Calógeras, o jogador de futebol Neymar foi acusado da tentativa de homicídio do colega de profissão, Cristiano Ronaldo. O auditório do Pleno foi ocupado pelos alunos, que assumiram os diferentes papéis previstos em um Tribunal do Júri – juiz, réu, promotor, advogados de defesa, assistentes de acusação, testemunhas, vítima e jurados. Estudantes tiveram maior contato com as funções de juiz, promotor, advogado de defesa e de réu Gustavo Alvarenga, de 15 anos, atuou como promotor. “Achei muito interessante essa simulação. Às vezes, nós, jovens, não temos acesso ao Judiciário e ficamos presos ao estereótipo de que esse é um Poder inacessível e muito burocrático”, disse. A aluna Ana Clara Rocha, de 14, a “juíza” que presidiu o júri, declarou que para ela, em especial, foi um momento muito importante, já que ela pretende cursar Medicina ou Direito. Vestir a toga, sentar na cadeira usualmente ocupada pelos magistrados e usar da autoridade de uma juíza para conduzir um julgamento, avalia a aluna, deu a ela um gostinho do que é o ofício que um dia, talvez, ela venha a abraçar. Uma das professoras que acompanhou os alunos, Rafaella Pereira Mallab Rocha, avaliou como muito interessante a atividade. "Nessa idade, eles  têm necessidade de vivenciar as coisas de forma mais concreta”, declarou. Para a professora, que leciona Língua Portuguesa para o 8º ano da escola, atividades como essas são interessantes, entre outros motivos, porque podem despertar nos alunos o interesse deles pelo campo do Direito e da Justiça criminal. Intervalo Cultural Uma edição especial do Intervalo Cultural também foi realizada nesta sexta-feira, em homenagem ao programa, na entrada da Sede do Judiciário mineiro, com a apresentação da peça “Conhecendo o Judiciário: Imagem e Situação!” pela Companhia Solo. O espetáculo, que usou o futebol como uma grande metáfora, apresentou “em campo” um animador de torcida e mímicos que, durante a “partida”, representaram persas situações pertinentes ao Judiciário. Intervalo Cultural apresentou a peça "Conhecendo o Judiciário: Imagem e Situação" Interativa, a peça contou com a participação de convidados da plateia, representando as torcidas dos times de futebol Cruzeiro e Atlético. Dinâmicas foram propostas ao público com o objetivo de, por meio de atividades lúdicas, levar informações sobre o Judiciário. “Adorei o dia de hoje. Foi uma mistura de alegria, vitória, competição. Pude provar meu valor na frente de todos”, afirmou, entusiasmado, o aluno Luan Garrido, de 14. Além de ter atuado como advogado de defesa no júri simulado, no qual seu “cliente” foi considerado inocente, ele se ofereceu para participar na peça do Intervalo Cultural, tentando responder às perguntas ao representar o time do Atlético, que venceu a competição. Terceira Idade No período da tarde, foi a vez daqueles que frequentam a Universidade Aberta à Pessoa Idosa da Una, na área de Direito. Os participantes ouviram a palestra e debateram com a juíza Cláudia Helena Batista. “Quero uma sociedade mais justa, é essa a sociedade que defendo”, concluiu a juíza. Ouça o podcast com informações sobre o assunto:   Juíza Cláudia Helena Batista fez palestra para o público sênior do Conhecendo o Judiciário Maria Isaura dos Santos disse que a palestra foi muito esclarecedora, “porque às vezes temos medo de muitas coisas, achamos que estamos fazendo errado, mas com as informações obtemos mais conhecimento”. Roberto Alves de Oliveira disse que a possibilidade de conhecer mais sobre os direitos, engrandece. Maria Cecília Duarte elogiou a possibilidade de interagir com uma juíza. Outras ações Uma série de outras ações marcaram o aniversário do programa, nesta semana. No auditório da Corregedoria, também nesta sexta-feira, aconteceu a visita de um grupo de universitários. O evento contou com palestra do juiz Daniel César Boaventura, da Central de Cumprimento de Sentenças (Centrase-Cível) de Belo Horizonte. Além disso, na quinta-feira, outra edição especial do Conhecendo foi realizada no Pleno do TJMG, reunindo cerca de 40 alunos da Escola Municipal Carmelita Carvalho Garcia. Na ocasião, os meninos colocaram em uma cápsula do tempo respostas à pergunta “O que você espera do Judiciário?”. A urna será aberta daqui a dez anos. Em meio às comemorações, o Conhecendo o Judiciário foi ainda o tema da última edição do Plural. publicação multimídia, com reportagens afetas ao universo da Justiça, que proporciona uma nova experiência em conteúdo – com uso de recursos como gifs, vídeos e infográficos.  
29/11/2019 (00:00)

Contate-nos

MELO RODRIGUES ADVOCACIA

Rua Ângelo Crema,  159
-  Bela Vista I
 -  Sacramento / MG
-  CEP: 38190-000
+55 (34) 3351-1084+55 (34) 9.8809-6681
© 2019 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia