Sábado
03 de Dezembro de 2022 - 

Notícias

Controle de Processos

Insira seu usuário e senha para acesso ao software jurídico

Previsão do tempo

Hoje - Sacramento, MG

Máx
26ºC
Min
19ºC
Chuva

Webmail

Clique no botão abaixo para ser direcionado para nosso ambiente de webmail.

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 5,20 5,20
EURO 5,44 5,44

Newsletter

30/09/2022 - 16h52CRP Itinerante ajuda população a completar certidão de nascimento5ª edição da modalidade foi realizada nesta sexta-feira (30/9) em Belo Horizonte

Equipe do CRP com a 3ª vice-presidente do TJMG, desembargadora Ana Paula Nannetti Caixeta ( Crédito : Divulgação/TJMG ) O Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) realizou nesta sexta-feira (30/9) a 5ª Edição do Centro de Reconhecimento de Paternidade (CRP) Itinerante, projeto que tem, como objetivo, identificar crianças, adolescentes e adultos que não possuem o nome do pai ou da mãe em seu registro de nascimento e possam, a partir da iniciativa, completar o documento. O evento foi realizado em parceria com a PUC Minas Unidade São Gabriel, em Belo Horizonte. Dezenas de famílias participaram da ação que, na avaliação da 3ª vice-presidente do TJMG, desembargadora Ana Paula Nannetti Caixeta, vai além do preenchimento do documento. “É o primeiro documento do ser humano e é muito importante para a identificação da pessoa, com repercussões no direito da personalidade e no princípio constitucional da dignidade humana”, disse a desembargadora, que chegou a se emocionar com algumas histórias que conheceu no local. Sonho realizado Uma dessas histórias é de Lucas Henrique Olímpio, de 15 anos. Em seu registro de nascimento, consta apenas o nome da mãe e da avó materna, Alcineia Olímpio. Desde que a mãe o abandonou, logo depois do nascimento, Alcineia passou a criá-lo com a ajuda do companheiro, Mário Morais de Cunha, a quem Lucas se refere como pai. Alcineia diz que se incomodava com o fato de Lucas não ter o nome do pai no registro, já que isso poderia causar constrangimentos e problemas ao adolescente. Hoje, os três, que moram no bairro Jardim Teresópolis, em Betim, atravessaram a cidade para obter o reconhecimento sócio-afetivo de paternidade por parte do companheiro de Alcineia. “Realizei meu sonho de ter o Lucas registrado em meu nome”, diz Mário. Lucas Henrique com a avó, Alcineia, e seu "novo" pai, Mário Morais de Cunha ( Crédito : Divulgação/TJMG ) Histórias que revelam surpresas Clóvis Natal Ribeiro ficou sabendo que seria pai por conversas de terceiros quando tinha apenas 20 anos de idade. Apesar do susto, estava disposto a resolver as coisas da melhor maneira possível: alugar casa, prestar auxílio financeiro e o que mais fosse necessário. Mas a mãe demorou a procurá-lo e, quando o fez, trouxe outra surpresa: se decidisse continuar com a gravidez, não iria criar a filha. Incrédulo, o pai acompanhou o restante da gestação e, quando foi avisado do nascimento da criança, compareceu ao hospital para prestar o auxílio necessário. Decepcionado com a confirmação de que a mãe não tinha interesse em cuidar da criança, assumiu já no hospital as obrigações de pai, auxiliado pela irmã, Marlene Divina Ribeiro Vitorino. Por isso, não registrou o nome da mãe na certidão.  A filha de Clóvis, hoje com 31 anos de idade, conta que, apesar do amor do pai, a falta do nome da mãe sempre a incomodou, principalmente quando era questionada ao preencher cadastro ou quando alguém se deparava com seus documentos. Nesta sexta-feira (30/9), a maternidade foi oficialmente reconhecida na documentação. Exame de DNA Foi também com surpresa que Felipe Tayrone descobriu, há seis meses, que pode ser o pai de uma menina que hoje tem 2 anos de idade. A mãe da criança, Paloma Aguiar, conta que acreditava que a filha fosse de um rapaz com quem se relacionava antes, porque só esteve com Felipe por um breve período de tempo. Mas algum tempo após de ter registrado a criança, o ex-parceiro fez o exame de DNA, e o resultado motivou uma ação negatória de paternidade, com a exclusão do nome dele da certidão. Incentivada pela mãe, Paloma decidiu procurar Felipe, que reagiu com tranquilidade e decidiu fazer o teste espontaneamente no evento dessa sexta-feira (30/9). Ele conta que tem desejo de ser pai, e por isso, está ansioso para que o exame seja positivo. Diretoria de Comunicação Institucional – Dircom TJMG – Unidade Fórum Lafayette (31) 3330-2123 ascomfor@tjmg.jus.br instagram.com/TJMGoficial/ facebook.com/TJMGoficial/ twitter.com/tjmgoficial flickr.com/tjmg_oficial  
30/09/2022 (00:00)

Contate-nos

Melo Rodrigues - Advocacia

Rua Ângelo Crema  159  casa
-  Bela Vista l
 -  Sacramento / MG
-  CEP: 38190-000
+55 (34) 3351-1084+55 (34) 98871-0798
© 2022 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia