Sábado
03 de Dezembro de 2022 - 

Notícias

Controle de Processos

Insira seu usuário e senha para acesso ao software jurídico

Previsão do tempo

Hoje - Sacramento, MG

Máx
26ºC
Min
19ºC
Chuva

Webmail

Clique no botão abaixo para ser direcionado para nosso ambiente de webmail.

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 5,20 5,20
EURO 5,44 5,44

Newsletter

30/09/2022 - 18h55Escola Judicial promove debate sobre a nova Lei do SuperendividamentoO 2ª vice-presidente do TJMG, desembargador Renato Luís Dresch, encerrou o evento

O 2º vice-presidente do TJMG, desembargador Renato Dresch, destacou a importância da oficina jurídica para os magistrados (Crédito: Juarez Rodrigues/TJMG) O 2º vice-presidente do Tribunal de Justiça de Minas Gerais e superintendente da Escola Judiciária Desembargador Edésio Fernandes (Ejef), desembargador Renato Luís Dresch, encerrou, nesta sexta-feira (30/9), a Oficina Jurídica que abordou o Direito do Consumidor e a Lei do Superenpidamento. Ele destacou que os debates, realizados na sede da Ejef, foram de grande importância para que o Poder Judiciário possa ter outro olhar para a nova Lei 14.871/2021, também conhecida como a Lei do Superenpidamento. A nova Lei define como superenpidamento a situação em que o consumidor de boa fé assume a impossibilidade de arcar com todas as dívidas que contraiu, sem comprometer o mínimo para sua sobrevivência. “Nós, magistrados, temos que contribuir para a construção de uma sociedade livre, justa e solidária. Infelizmente, algumas instituições financeiras têm cobrado juros muito altos e, assim, contribuem para o aumento do superenpidamento de grande parte da população. Temos que continuar discutindo esta temática em outros eventos da Escola Judicial”, afirmou o desembargador Renato Luís Dresch. A oficina realizada na Ejef abordou a nova Lei do Superenpidamento (Crédito: Juarez Rodrigues/TJMG) Sensibilização A superintendente adjunta da Ejef, desembargadora Lilian Maciel, mediadora da oficina sobre o superenpidamento, disse que o tema ganhou ainda mais relevância durante a pandemia da covid-19, quando milhares de pessoas perderam seus empregos e se enpidaram, principalmente junto a bancos. “Nossa proposta, com esta atividade, foi sensibilizar os colegas magistrados sobre a existência de um projeto capitaneado pela 3ª vice-presidência do TJMG e conduzido pela desembargadora Ana Paula Nannetti Caixeta. O projeto tem como objetivo disseminar a nova Lei do Superenpidamento, colocá-la em prática e conscientizar a população sobre os riscos de se contrair pidas impagáveis”, ressaltou a desembargadora. O coordenador do Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania (Cejusc) de Belo Horizonte, juiz Clayton Rosa de Resende, afirmou que a Lei 14.871/2021 modificou o Código de Defesa do Consumidor, ao trazer o conceito do superenpidamento nos artigos 54 e 104. “Precisávamos criar um procedimento para colocar a lei em prática e, para tal, fizemos parceria entre as várias instituições com o intuito de fortalecer um sistema de atendimento ao consumidor que se enquadre no conceito de superenpidamento”, pontuou o magistrado. Facilidades Segundo o juiz Clayton Rosa de Resende, superenpidados são aqueles que contraíram dívidas que não conseguem pagar, já que os débitos são maiores que a renda mensal, e que chegaram a tal situação em razão de supostas facilidades oferecidas por instituições financeiras. “Várias pessoas, por exemplo, só descobrem que se aposentaram ao receber ligações de bancos, oferecendo empréstimos consignados”, disse o magistrado. A oficina abordou vantagens trazidas pela lei para os superenpidados (Crédito: Juarez Rodrigues/TJMG) O Cejusc de Belo Horizonte, de acordo com o juiz Clayton Rosa de Resende, tem a função de dar tratamento diferenciado aos consumidores ainda em uma fase pré-processual nos casos de superenpidamento, além de orientá-los a evitar novas dívidas impagáveis. O promotor de justiça e coordenador do Programa Estadual de Defesa do Consumidor de Minas Gerais (Procon-MG), Glauber Sérgio Tatagiba do Carmo, disse que o objetivo da Oficina foi mostrar aos juízes das varas cíveis o trabalho desenvolvido no Ministério Público, em parceria com a Defensoria Pública, Tribunal de Justiça e Procon municipal. “É importante que os magistrados entendam como nosso trabalho de atendimento especializado aos superenpidados está sendo desenvolvido e os resultados que estão sendo atingidos, após a promulgação da nova lei”, explicou o promotor. Também participou da oficina o economista e perito judicial Luiz Fernando Perez. Diretoria Executiva de Comunicação – Dircom Tribunal de Justiça de Minas Gerais – TJMG (31) 3306-3920 imprensa@tjmg.jus.br instagram.com/TJMGoficial/ facebook.com/TJMGoficial/ twitter.com/tjmgoficial flickr.com/tjmg_oficial  
30/09/2022 (00:00)

Contate-nos

Melo Rodrigues - Advocacia

Rua Ângelo Crema  159  casa
-  Bela Vista l
 -  Sacramento / MG
-  CEP: 38190-000
+55 (34) 3351-1084+55 (34) 98871-0798
© 2022 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia