Segunda-feira
18 de Dezembro de 2017 - 

Controle de Processos

Insira seu usuário e senha para acesso ao software jurídico
Usuário
Senha

Notícias

Newsletter

Nome:
Email:

Previsão do tempo

Hoje - Sacramento, MG

Máx
30ºC
Min
18ºC
Pancadas de Chuva a

Webmail

Clique no botão abaixo para ser direcionado para nosso ambiente de webmail.

Estado do Rio terá que indenizar alunos de Colégio da PM vítimas de assédio

O Estado do Rio de Janeiro terá que indenizar dois alunos do Colégio da Polícia Militar, em Niterói, que foram agredidos durante uma situação de assédio. A decisão é dos desembargadores da 8ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ) que negaram recurso do Estado do Rio, mantendo a sentença da 1ª instância que o obriga, junto com a instituição, a pagar R$ 5 mil de indenização por danos morais a estudante e R$10 mil ao seu irmão. A jovem recebeu um chute no abdômen por ter se recusado a beijar um colega de escola. O irmão dela tentou intervir e também foi agredido, tendo os óculos quebrados. Depois do ocorrido, o rapaz não quis retornar ao colégio, sendo diagnosticado com distúrbio de ansiedade social. A Justiça do Rio entendeu que o caso configura omissão do Estado, que se descuidou da vigilância dos estudantes e “não impediu que a desavença existente entre alguns de seus alunos chegasse às vias de fato.” Processo: 0064801-02.2009.8.19.0002 RC/PC O Estado do Rio de Janeiro terá que indenizar dois alunos do Colégio da Polícia Militar, em Niterói, que foram agredidos durante uma situação de assédio. A decisão é dos desembargadores da 8ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ) que negaram recurso do Estado do Rio, mantendo a sentença da 1ª instância que o obriga, junto com a instituição, a pagar R$ 5 mil de indenização por danos morais a estudante e R$10 mil ao seu irmão.A jovem recebeu um chute no abdômen por ter se recusado a beijar um colega de escola. O irmão dela tentou intervir e também foi agredido, tendo os óculos quebrados. Depois do ocorrido, o rapaz não quis retornar ao colégio, sendo diagnosticado com distúrbio de ansiedade social. A Justiça do Rio entendeu que o caso configura omissão do Estado, que se descuidou da vigilância dos estudantes e “não impediu que a desavença existente entre alguns de seus alunos chegasse às vias de fato.”Processo: 0064801-02.2009.8.19.0002RC/PC
11/10/2017 (00:00)

Contate-nos

MELO RODRIGUES ADVOCACIA

Rua Ângelo Crema,  159
-  Bela Vista I
 -  Sacramento / MG
-  CEP: 38190-000
+55 (34) 33511084
© 2017 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia